Novidades e Notícias
 
Mais recentes

21/Fev/2017 - HORÁRIO DE EXPEDIENTE CARNAVAL 2017. - Leia mais



27/Mai/2015 - Bem de família do fiador em aluguel é penhorável - Leia mais



27/Fev/2015 - Animais em condomínios: regras evitam brigas na Justiça - Leia mais



21/Fev/2015 - Economia de energia - Consumo controlado evita impacto maior nas contas do condomínio - Leia mais



09/Fev/2015 - Nova norma que regulamenta obras já gera polêmica em condomínios - Leia mais



Ver todas as notícias

 

27/Fev/2015
Animais em condomínios: regras evitam brigas na Justiça


Os casos de brigas na Justiça por mau comportamento canino têm crescido entre moradores de condomínios. Segundo Gabriel Karpat, consultor especializado em condomínios e diretor da GK Administração de Bens, essa não é forma mais aconselhada para solucionar problemas envolvendo animais em condomínios.

"A ação processual deve ser o último recurso procurado para a resolução desse tipo de conflito, extremamente comum nos edifícios. O caso deve ter uma conciliação no próprio condomínio. Detalhar no regimento interno certas regras como a limitação de espaços permitidos aos bichos, cuidados em seu transporte, além da exigência da limpeza e do bom comportamento animal, incluindo multas e outras sanções, é o melhor caminho para ditar a boa convivência entre vizinhos e seus bichos de estimação", relata Gabriel Karpat.

Outra alternativa que pode ajudar bastante a prevenir brigas entre condôminos, de acordo com o consultor, é a promoção de campanhas educativas.

"Nesse sentido, o síndico com o auxílio da administradora do condomínio pode reunir os moradores que possuem animais e trazer um especialista - veterinário ou adestrador - para que os ensinem como treinar seus respectivos bichos de estimação a terem um bom comportamento", explica.

O especialista relata que o excesso de barulho e de sujeira, além do comportamento inadequado oferecendo riscos aos demais moradores são as principais queixas que provocam a discórdia entre vizinhos quando o assunto é animal.

Os campeões de reclamação são os cachorros, seguidos por pássaros "falantes" como o papagaio e a taquara.

"A dica mais valiosa é que, independentemente do bicho de estimação e do que dita o regimento condominial, o morador tenha sempre o bom senso como fio condutor dessa relação. O respeito à individualidade do vizinho é essencial para que todos os envolvidos – condôminos, animais e seus donos – convivam em harmonia e tenham o seu bem-estar preservado", conclui o diretor da GK Administração de Bens.